Miriam Prochnow firma compromisso pela alimentação saudável e vegetariana

Miriam Prochnow firma compromisso pela alimentação saudável e vegetariana

Candidata ao Senado pela REDE SC adere a propostas de grupos ligados à alimentação saudável e a modos de produção sustentáveis

Acesso a alimentos saudáveis, sem agrotóxicos, e que atendam às reais necessidades de cada momento de vida é uma das bandeiras de Miriam Prochnow, candidata ao Senado pela REDE Sustentabilidade SC. Por isso, em setembro Miriam firmou compromisso com a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) e com o grupo ALIANÇA, trazendo várias ações e projetos ao seu plano de ação no Senado.

A carta-compromisso da SVB – “Promovendo o vegetarianismo como uma alimentação ética, saudável e sustentável -, já traz assinatura da candidata. A carta estabelece quatro eixos de incentivo: ao desenvolvimento econômico do setor de proteínas vegetais e de produtos substitutos aos produtos de origem animal; ao posicionamento claro dos órgãos de saúde e nutrição sobre o tema e à inclusão da matéria nutrição vegetariana.

Já o grupo ALIANÇA é composto por profissionais e organizações da sociedade civil de interesse público e foi criado para desenvolver e fortalecer ações coletivas para garantir o direito à alimentação adequada. Entre os compromissos de Miriam com a ALIANÇA estão a promoção, proteção e apoio aos saberes e práticas de alimentação adequada e saudável, o fortalecimento da agroecologia e da agricultura familiar, a garantia da água como direito humano e bem comum, e ainda a restrição de publicidade de alimentos ultraprocessados.

Várias ações propostas também protegem a criança, como o estímulo à amamentação, a proibição da publicidade dirigida ao público infantil e o incentivo a alimentação saudável dentro do ambiente escolar. “Todas essas propostas têm coerência com as bandeiras da REDE Sustentabilidade, que busca o desenvolvimento sustentável em uma sociedade justa, próspera, diversa e equilibrada. Com essas ações, vamos garantir a saúde, evitando o grave adoecimento da população por má alimentação e por ingestão de toxinas inadequadas ao seres vivos,” destaca a candidata.

Em agosto, Miriam Prochnow já havia aderido à iniciativa “Unidos Contra a Corrupção – Novas medidas para acabar com esse velho problema do Brasil”, um pacote com 70 medidas, incluindo anteprojetos de lei, propostas de emenda à Constituição, projetos de resolução e outras normas voltadas ao controle da corrupção. Ela se comprometeu publicamente a, quando eleita, lutar no Congresso Nacional para vê-la aplicada. “O importante nessas propostas é que avançam em diferentes frentes contra um problema que é multifacetado. O fato de trazer a visão de diversos setores, instituições e ideologias dá credibilidade às proposições para o enfrentamento da corrupção”, avalia Miriam.

Candidata ao senado defende ecoturismo em Santa Catarina

Candidata ao senado defende ecoturismo em Santa Catarina

O turismo tem sido a mola propulsora da economia em várias regiões do mundo e Santa Catarina, com suas paisagens variadas, tem um enorme potencial de crescimento nessa área. Esse é o tema do novo clipe da campanha da candidata da Rede ao senado Miriam Prochnow (número 181).

Lugares como os campos de altitude da Serra Catarinense são espetaculares para o ecoturismo e o turismo rural, proporcionando ao mesmo tempo desenvolvimento para a região e experiências incríveis para quem visita o local. Além disso, é uma das melhores formas de garantir a conservação ambiental e um ambiente que é a caixa d’água de Santa Catarina”, diz Miriam. Fonte de águas cristalinas, os campos de altitude alimentam os mananciais do estado.

No vídeo, Miriam lembra que o ecoturismo é uma das atividades que mais crescem no mundo e conversa com os guias Dario e Soraia Lins, que mostram um pouco das belezas e potenciais da região para a atividade. Para Dario, o ecoturismo precisa de políticas públicas que garantam a proteção do meio ambiente, para que essas paisagens possam ser preservadas e usadas para o ecoturismo, além de incentivos públicos para a atividade. “Santa Catarina pode se tornar uma referência nessa área”, diz.

Em boa companhia

Em boa companhia

Ideais de justiça social e de desenvolvimento sustentável unem a candidata ao Senado, Miriam Prochnow, aos suplentes Margarete Philippi Cecconi e Nelson Zunino Neto.

Para um Senador da REDE, estar acompanhado por bons suplentes é tão importante quanto ter uma conduta digna e apresentar propostas que estimulem o estado e o país a prosperar com sustentabilidade e justiça social. Por isso, estão ao lado da candidata ao Senado, Miriam Pochnow, os suplentes Nelson Zunino Neto e Margarete Philippi Cecconi, que trazem em suas trajetórias a experiência e a sensibilidade necessárias para a missão.

Miriam apresenta seus suplentes:

NELSON ZUNINO NETO

Nascido em São João Batista, Nelson Zunino Neto mostra sua liderança natural nas atividades da sigla em Santa Catarina, atuando como um dos porta vozes da REDE. Aos 46 anos, é casado com Suziani e tem uma filha, a adolescente Ana. É advogado, pós-graduado em Direito e Gestão Ambiental e também em Direito Eleitoral. De forte espírito democrático, tem como hábitos a leitura, o debate e o aprendizado. Destaca-se pela escrita talentosa e crítica, que o levou a atuar como colunista dos jornais Correio Catarinense, Notícias do Dia e A Crítica, sendo agraciado em 2010 pelo prêmio ADJORI/SC Jornalismo na categoria coluna.

Foi assessor jurídico de câmaras de vereadores e prefeituras municipais. É palestrante sobre reforma política, legislação eleitoral e improbidade administrativa. Participou da Comissão de Moralidade Pública da OAB/SC e de Câmara de Julgamento da OAB/SC. Foi Vice-Presidente da Comissão de Direito Eleitoral da OAB/SC. Atuou na Comissão Disciplinar do Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol de Santa Catarina. Já exerceu a função de vereador (PPS/Rede).

É membro do Instituto dos Advogados de Santa Catarina. É Procurador-Geral da APAE de São João Batista. Também é membro fundador do movimento PLAM – Português como Língua de Acolhimento, em São João Batista em parceria com a UFSC (mais de 80 alunos haitianos). Há mais de 30 anos auxilia na constituição e organização de dezenas de associações civis esportivas, culturais e filantrópicas.

MARGARETE PHILIPPI CECCONI

Nascida em Lauro Muller – distrito de Guata, Margarete tem quatro filhas e é avó de três netos. Desde criança, teve sua atenção capturada pela desigualdade social. Da época, guarda na memória a experiência de caminhar descalça até a escola para sentir como era não ter sapatos. Formou-se  no Colégio Normal. Ainda jovem, trabalhou no Funrural e conheceu um pouco da realidade dos trabalhadores rurais.

Em 1973, casou com João Cecconi e acompanhou o marido em sua carreira profissional, frequentando algumas universidades, como a Unisul Tubarão e a UNB, em Brasília. Em Alfredo Wagner atuou como voluntária na busca de melhores condições de vida aos moradores, lutando por saneamento básico e por médico no posto de saúde. Retornou aos estudos na FUCRI, em Criciúma, e trabalhou como coordenadora do Centro de Integração e Escola –  CIEE. Morou também em Rio do Sul e Treze de maio.

Estudou Psicologia na Unisul em 1995, sendo atuante na representação dos alunos. Ao mudar para Florianópolis, cursou Filosofia na UFSC e concluiu o Curso de Pós Graduação em Filosofia Clínica. A maior parte de seu trabalho foi como voluntária engajada na busca de melhores condições da educação, saúde e saneamento básico para a população. Atuou na criação da REDE Sustentabilidade e foi candidata a deputada federal, tendo conseguido 1.391 votos em 127 municípios catarinenses em uma campanha quase sem recursos. Defende que é preciso fazer política com ética para construir um país mais justo e sustentável.

Miriam Prochnow assume compromisso de incentivar, no Congresso, as reservas particulares

Miriam Prochnow assume compromisso de incentivar, no Congresso, as reservas particulares

Candidata da Rede ao senado por Santa Catarina (número 181), Miriam Prochnow foi a primeira candidata ao senado no país a assumir um compromisso público em favor das Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN), unidades de conservação criadas em terras privadas por cidadãos ou empresas que querem destinar suas áreas à conservação ambiental. A candidata assinou uma carta aberta da Confederação Nacional das RPPN, na qual manifesta seu pacto de lutar por medidas efetivas para a conservação de áreas naturais e da biodiversidade brasileira, além de apoiar legislação e desenvolvimento de programas de incentivo à criação de novas reservas particulares e de suporte técnico e para manutenção de RPPN em Santa Catarina e em todo o país.

Incentivar a preservação da natureza por meio de reservas particulares é uma grande causa defendida pela ambientalista Miriam Prochnow há muito tempo, principalmente porque a maior parte dos remanescentes de Mata Atlântica – bioma no qual o Estado de Santa Catarina é inserido – está em propriedades particulares. “A colaboração desses proprietários dispostos a transformar parte de suas terras em unidades de conservação é fundamental para garantirmos a proteção de nossas biodiversidade, água e paisagens naturais”, diz a candidata.

Miriam sabe do que está falando. Ela e o marido, Wigold Schäffer, são proprietários da RPPN Serra do Pitoco, em Atalanta, uma área de 3 hectares, que protege uma linda cachoeira dentro de uma propriedade onde o casal desenvolveu o conceito de propriedade legal: por seguir a legislação ambiental e por ser um lugar bom de se viver.

Conheça os compromissos assumidos por Miriam com as RPPN.

 

Confira abaixo o bate-papo sobre RPPNs entre Miriam Prochnow, candidata ao Senado, Beto Mesquita, ambientalista, e Ciro Couto, presidente da Associação Catarinense de RPPNs.